Destaques

Taekwondo Olímpico e os Equívocos que persistem. Ou este “jogo” não é para amadores?

Taekwondo Olímpico e os Equívocos que persistem. Ou este “jogo” não é para amadores?

  “A Confederação Brasileira de Taekwondo realizou na manhã desta segunda-feira, dia 25/03, duas Assembleias Gerais Ordinárias - AGOs e uma Assembleia Geral Extraordinária - AGE, no auditório do Parque Aquático Maria Lenk, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.” Informações disponível em https://www.cbtkd.com.br/noticia/524/cbtkd-realiza-assembleias-gerais-ordinarias-e-extraordinarias (Acesso em 03 Abril, 22 hs.) Segundo consta, nesta “primeira Assembleia Geral Ordinária foram aprovados a Prestação de Contas do exercício de 2018 e o Planejamento Orçamentário de 2019. Na ocasião a coordenadora técnica apresentou um compilado técnico com base nos resultados internacionais da temporada 2018, que basearam todo planejamento da temporada atual.” Conforme um dos seus participantes esta “assembleia foi muito satisfatória e comparada às últimas realizadas destaco a harmonia e concordância em relação ao crescimento do Taekwondo”. Interessante saber destes dirigentes, responsáveis pelas gestões regionais do Taekwondo “Olímpico” Brasileiro, o que se entende por “...concordância em relação ao crescimento do Taekwondo”? Nesta mesma linha, vale destaque a narrativa “oficial” de que seus próceres, “dando continuidade ao compromisso com a comunidade do Taekwondo brasileiro segue realizando ações e adequações para alcançar a missão de ´ser referência na gestão e nos resultados esportivos` ”. Sobre isto, há 4 anos a Revista Budô em seu canal do YouTube, em um programa Mesa Redonda: Taekwon...

Manuel Carlos, o Primeiro “JoKioNim” no Ensino do Taekwondo Brasileiro

Manuel Carlos, o Primeiro “JoKioNim” no Ensino do Taekwondo Brasileiro

Próximo de completar 16 anos, início de 1968, Manuel Carlos de Almeida Neto deixa sua cidadezinha interiorana (Escada/PE) para continuar seus estudos na capital. No início daquele ano letivo ele frequentaria o Colégio Independência (Recife/PE) para fazer o Ensino Médio. Foi esta mudança que colocou Manuel e o Taekwondo no mesmo caminho. Ms Marcio Gomes é quem nos ajuda a entender esta história, assim como nos coloca em contato com este pioneiro no Taekwondo Pernambucano. A História deste taekwondista começa de forma despropositada. Logo no início das aulas daquele ano, um sargento do Exército Brasileiro, colega de turma, lhe disse: - Manuel, tu gostas de artes marciais? Pois tem um coreano lá no quartel dando aula. Na verdade é para os militares e seus familiares; como sou solteiro, se você quiser ir, entra como meu convidado. Manoel Carlos aceitou prontamente. E, em Fevereiro de 1968, ao se apresentar para estes treinos, conhecia o Mestre Byung Kuk Lee dando aula de Judô no 4º BCom (4º Batalhão de Comunicação do Exército em Recife). Logo em seguida, Ms BKLee introduziria o Ensino do Taekwondo naquela unidade militar. As aulas, lembra Manuel, eram de 1 hora para os treinos de Judô e na sequência mais 1 hora de Taekwondo. No começo Manuel e demais praticantes se espantaram com o nome da modalidade, assim como sua pronúncia que pareciam distintas. Estranharam mas acostumaram! A partir de então, Manuel vai se firmando como aluno, passando a auxiliar o Mestre Lee no ensino do Tae...

50 anos de Taekwondo no Brasil (1968 - 2018), para além de uma disputa de narrativas.

50 anos de Taekwondo no Brasil (1968 - 2018), para além de uma disputa de narrativas.

Não seria equívoco considerar que os anos de 1968 e o de 2018 guardem alguma similaridade, embora ½ século já tenha se passado, tensões sociais e políticas, insegurança e incerteza no futuro, causadas pelo tensionamento social nestes dois momentos distintos da história, talvez, substancie uma percepção de similaridade. E neste delta temporal de 50 anos de história da nossa experiência social o Taekwondo surgiu, se instituiu, se firmou e ganhou espaço como arte marcial, esporte de combate, escolar, universitário, militar, olímpico, etc. Em meio as tensões políticas que o país vivia em 1968, a cidade de Recife/PE acolhia um coreano clandestino que chegou se embrenhando em meio a nossa cultura, garimpando oportunidades, procurando e abrindo espaço para a entrada do Taekwondo no cenário esportivo e marcial brasileiro. 50 anos mais tarde, ano de 2018, os praticantes desta modalidade ainda encontram dificuldades em reconhecer as diferentes facetas que construiram sua história. Além disto, abrem-se as portas em definitivo para um novo redesenho na formatação da modalidade do ponto de vista da oficialidade institucional, de modo que, a entidade que controla a o Taekwondo na sua franquia “olímpica” passa a perceber que há diferentes formas de se praticar e organizar a modalidade no Brasil para além dos esquemas de controle da oficialidade. A partir daqui, ganha forma e proeminência outros agrupamentos taekwondista, além das demais organizações já existentes. E se isto não é pouc...

Resenha sobre o livro - “Uma Arte Mortal: A História não contada do Tae Kwon Do”

Resenha sobre o livro - “Uma Arte Mortal: A História não contada do Tae Kwon Do”

  “Uma Arte Mortal: A História não contada do Tae Kwon Do” foi escrita pelo jornalista canadense Alex Gillis. Alex começou a treinar a arte marcial quando novo e ao longo de sua vida teve contato tanto com o Tae Kwon Do conhecido como tradicional da ITF, quanto com o Tae Kwon Do Olímpico da WT. Um de seus primeiros instrutores foi o coreano Jong-soo Park, que no passado foi um dos pioneiros mais importantes do General Choi. A sua profissão e este background incrível serviram de basepara um dos livros mais importantes sobre a História do Tae Kwon Do que já foi publicado. O que talvez diferencie esta obra das demais é o fato dela ser resultado de uma investigação jornalística que é tanto meticulosa quanto abrangente. Ao longo de anos, Alex entrevistou dezenas de instrutores que fizeram parte da construção da própria arte marcial. Entre os vários nomes de peso, para citar apenas alguns, estão Nam-te Hi (braço direito do general Choi no início da ITF), Chang-keun Choi (Um dos Ases do Tae Kwon Do), o próprio Choi Hong-hi, Un-yong Kim (fundador da WT e do Kukkiwon), Jhoon Rhee (o pai do Tae Kwon Do norte–americano), entre muitos outros. Esta grande quantidade de informações que ele reuniu acabam se encaixando numa narrativa envolvente que foi descrita pela Quill & Quire: “parece mais um romance de espionagem do que uma história”. Acho que esta crítica não poderia ser mais oportuna porque, durante todo o período em que conversei com o jornalista, ele sempre falou que a mai...

Velha, “Nova CBTKD”: Tudo como dantes no quartel d’Abrantes.

Velha, “Nova CBTKD”: Tudo como dantes no quartel d’Abrantes.

                      Já faz algum tempo que largamos mão de ficar criticando a gestão da entidade que controla o Taekwondo “Olímpico” Brasileiro. A conclusão que chegamos é que não vale a pena! Se a mídia crítica, ainda que de forma implicante, apontando erros, equívocos e negligência, incomoda, pior fica quando nossos dirigentes acabam tentados a correr pra barra da saia da justiça pra não verem seus “chafurdos” chafurdados. E quando não apelam pros tribunais com recursos da entidade ou dos lucros com exames de faixas, se apresentam com a maior cara- de-pau – pinta de algozes vitimizados - ao não reconhecer que se há um bônus em ocupar cargos em mandatos de representações coletivas, há o ônus das cobranças. Não por acaso, temos dirigentes intragáveis que mesmo percebendo o apequenamento de seus redutos representativos e suas respectivas entidades perdendo representação, credibilidade e, portanto, sua legitimidade, ainda acham normal se apossarem de cargos eletivos por toda uma eternidade. Esta resenha vem ao ar por conta de uma matéria que veio a público recentemente na Revista Budo <http://revistabudo.com.br> revelando uma ação na qual, ... “expõe fraudes e vícios do processo que elegeu Alberto Cavalcanti Maciel Júnior e deu início a uma gestão fundamentada em desmandos e ilicitudes jurídicas na Confederação Brasileira de Taekwondo.” ... “Inconformado com o desfecho de um pleito absurdo, (...), o ex-presiden...

04 03 banner-mnovo04.jpg 01 02 05

Livro - Defesa Pessoal

Defesa Pessoal Autores: Jorge Alberto Alvorcem Pinto e Sander Moreira Valério

Este Livro é um verdadeiro Tratado sobre Defesa Pessoal, onde dois experientes Oficiais da Brigada Militar, TC Valério e Maj. Alvorcem resolveram unir seus conhecimentos teóricos e práticos como Policiais Militares e praticantes de Artes Marciais, consolidados em mais de 20 anos de experiência no assunto, abordando a Defesa Pessoal com muita propriedade, através de um Programa completo de Treinamento, apresentado de forma clara, técnica, didática e principalmente eficaz.

Inicialmente focado no universo Policial e Agentes de Segurança, esta obra transcendeu seus limites, podendo servir como valiosa fonte de consulta aos amantes das Artes Marciais, ou até mesmo leigos no assunto, que tenham curiosidade sobre o tema e queiram aprender formas e conceitos de segurança para uso no seu dia à dia.

Sem precedentes, em conteúdos e apresentação, é um livro atual e muito interessante, obrigatório para todos os profissionais que trabalham com segurança.

Alguns dos principais tópicos do livro:

  • Breve histórico das Artes Marciais
  • Aspectos teóricos da defesa pessoal
  • Quadro comparativo entre alguns tipos de lutas
  • Pontos a ponderar quanto ao uso das armas de fogo
  • Fatores que influenciam na aplicação de um golpe
  • Pontos vitais do corpo humano
  • Conceitos de defesa pessoal
  • A defesa pessoal e o Direito
  • O papel do instrutor de defesa pessoal
  • A didática no ensino da defesa pessoal
  • Programa completo de treinamento
  • Técnicas de solo
  • Técnicas de defesa e ataque
  • Técnicas de defesa contra ‘agarres’ e chaves
  • Técnicas de defesa contra agressões desarmadas
  • Técnicas de defesa contra agressões armadas
  • Uso do bastão PR-24 (Tonfa)
  • Meios Auxiliares de defesa
  • Perfil psicológico dos delinqüentes
  • Fases emocionais de uma ação criminosa
  • Fatores de risco
  • Decisão de reação
  • Conduta inteligente de segurança

    Anexos:
  • Exercícios de Alongamento e Aquecimento
  • Primeiros Socorros aplicados à Defesa Pessoal
  • Modelos de Provas para avaliação da aprendizagem
  • Regulamento de competição de Defesa Pessoal
  • Medidas de Segurança

    Apresentação:
  • Mais de 500 fotos
  • 222 páginas
  • Fino acabamento e apresentação

    Visite o Site do Autor: www.jorgealvorcem.com.br
  • Vídeos

    O Livro 'Uma Arte Mortal: A História Não Contada do Tae Kwon Do."

     

     

     

     

     

     

    TV Replicante

    Jeju World Taekwondo Hanmadang 2018

     

     

     

     

     

     

    01 03 05 10 06 09 08 04 02 07
    09 02 10 01 08 13 05 03 07 11 12 14 06 15 04
    01 02 03 04