“Re Re Lambanças” no Taekwondo “Olímpico” Brasileiro

 


A novidade desta semana foi a AGE de 09/11/2015 que a entidade que controla o Taekwondo “Olímpico” Brasileiro teve que fazer para corrigir as lambanças institucionais que promoveram entre os dias 21 11 2011 (data da AGE) e  27 01 2012 quando a Ata da famigerada assembleia foi registrada em Cartório.

Foram necessários 4 anos para que a Justiça desse um ponto final à contenda, ANULANDO o Estatuto Social “aprovado” naquela ocasião, geradora de nulidade de todos os atos dependentes e adstritos àquele ato nulo, inclusive dos eventuais sucessivos estatutos posteriores.

Como se isto não bastasse, vem um site “oficial” paralelo do taekwondo nacional dar a sua contribuição com um artigo sem autoria, afirmando em 10/11/15 - “AGE da CBTKD: Show de democracia!. Nem cabe adjetivos a tal contribuição. Sem falar que, em se tratando deste imbróglio, este site não possui imparcialidade apropriada para se posicionar. Muito menos de forma anônima (sem autoria) e dissimulada, como se nada tivessem com o que aconteceu.

A desfaçatez começa quando, em vez de explicar para os filiados da FESPT por que fora à época declarada filiada e agora por força da Justiça se vê substituída por quem de direito: a FETESP , resolve fazer “graça” com seu leitor, fazendo propaganda questionável da postura “democrática” do atual mandatário da entidade - em mandato anulado por motivos óbvios -, como se isso ajudasse em algo. É uma pena este site não ter mais a credibilidade de outrora, não por acaso, tendo em vista um artigo, uma opinião, sem valor por se tratar de artigo anônimo. Quem escreveu? De quem foi esta “ideia de jerico”?

Mais grave foi a deselegância que o artigo sem autor comete. Uma maldade com o representante da FTEMG (a Federação de MG, agora reintegrada) ao salientar um suposto espírito democrático do atual mandatário da entidade - em mandato anulado por motivos óbvios -, oferecendo a condução dos trabalhos desta AGE a Marcelino Soares, para que ele indicasse quem presidiria a AGE. Acharam uma maneira bem sutil de desqualificar uma liderança do taekwondo brasileiro.

Maldosos e equivocados, porque erram ao dizer que o atual mandatário da entidade - em mandato anulado por motivos óbvios - “perguntou aos demais presentes, o representante de Brasília indicou o representante do estado de Pernambuco para presidir a Assembleia, que foi aceito por unanimidade,” Não foi! Quem presidiu a AGE foi o representante do estado do Maranhão.

Quanto ao fato de um novo estatuto ter sido aprovado donde “nada significantemente de novo no estatuto”, é o que veremos em outra análise.

“Comemorar? Sim!”

Comemorar o quê, cara pálida?

Se considerarmos que tiveram que se reunir por força da Justiça para reparar erros grosseiros, amadores nas alterações estatutárias que começaram na AGE de 21 11 2011, o que comemorar?

Era pra se envergonhar e se desculpar. Isto sim, é o que se espera de grandes homens.

“Grandes” estes “mestres” de taekwondo, que não conseguem se desculpar quando erram.

Ah, as curiosidades?

Criticar a postura dos representantes da FETESP por quererem garantir sua condição de “re-confederada”, seria até aceitável do ponto de vista do embate político, mas desqualificá-la sabendo todos quem seriam os beneficiários da desfiliação dela, é tratar o leitor como idiota.

Curioso mesmo é entender como terreno neutro a realização de uma AGE no auditório do Advogado de Defesa da Entidade, para tratar de assuntos diretamente ligados a embates políticos de tamanha relevância.

Curioso mesmo é ver membros da comissão técnica da entidade com seus votinhos em mãos, sem saber se a serviço do taekwondo nacional ou de si próprios.

Curioso mesmo é observarmos dois advogados com nome de peso representando as federações de Pernambuco e do Maranhão, já que estas entidades não acrescentaram nada de relevante que justificasse tal investimento. Afinal de contas, dois profissionais bem valorizados no mercado.

Um deles, em sua carreira profissional, defendeu o Clube de Regatas Flamengo, no caso do Goleiro Bruno. Também o ator Dado Dolabela em imbróglio com sua ex, Luciana Piovani; Kleber Leite, no caso do Escândalo da Fifa; Eike Batista e os carrões apreendidos, entre outros clientes não menos relevantes.

Seria tambem o profissional que defendeu o ex-deputado federal Rodrigo Bethlem que, de acordo com a ação, teria firmado contratos no valor de R$ 41,5 milhões à frente da Secretaria Municipal de Assistência Social, relativos às gestões da 8ª e da 10ª Coordenadorias de Assistência Social (CAS) do município do Rio de Janeiro, todos com dispensa de licitação, assunto que veio a público em 01/07/2015 - “MP-RJ investiga supostos desvios de ex-subsecretário de Rodrigo Bethlem .

O outro, o que presidiu a tal AGE, representando por procuração o Maranhão, não menos relevante, é advogado e empresário ativo na seara desportiva brasileira com passagens e postos em várias instâncias em entidades esportivas, confederações, STJDs, inclusive citado num caso bastante emblemático, em 05/11/2015 - "Como Paulo Schmitt, do STJD, ganha milhões com o basquete brasileiro".

Profissionais desta envergadura, sem conexão histórica com a modalidade, não dá para imaginar trabalhando a troco “de banana” para federações estaduais do nordeste invariavelmente pobres em recursos.

Infelizmente nos falta elementos para entender tamanho interesse e grandiosas disponibilidades profissionais.

Por hora, a única conexão que imaginamos ou que poderia mover tal empenho, assim como tal robustez profissional, estaria nos possíveis desdobramentos de Inquéritos da PF na Operação Contra Golpe, que investiga convênios desta entidade com o Ministério dos Esportes. Porém, tão logo estes assuntos voltem a tona, tais dúvidas serão sanadas.

Fora isso, pode também ter sido uma reunião de amigos. Por que não?

 

Nós do Tkdlivre não fizemos ilações, apenas um exercício literário intelectual, sem falar que ainda acreditamos num mundo melhor.

Por fim, como sugere a matéria de cobertura desta AGE, citada na inicial, o nobre dirigente - em mandato anulado por motivos óbvios - não deve deixar que o “taekwondo brasileiro retorceda”, sim claro, nós também assim entendemos.

Porque já está “retorcido” o suficiente.

 - O Autor,  José Afonsoé faixa preta, professor, praticante e ativista no taekwondo brasileiro.


Artigo Publicado em 13/11/2015, as 23:15hs 

Nota da Redação:
¹ O Tkdlivre, não necessariamente concorda com o conteúdo dos artigos publicados e assinados neste Site. O artigo em questão reflete exclusivamente a opinião do autor, e assim, da sua inteira responsabilidade.
²  De qualquer forma, aos questionamentos que este artigo sugere o Tkdlivre, se coloca de antemão, a disposição para, a quem interessar possa, exercer o Direito de Resposta ou fazer o Contraditório.

___________________ &&& ____________________