RESGATANDO A VERDADEIRA HISTÓRIA DO TAEKWONDO: ´A MORTE DO GENERAL CHOI`

Por: Alcione Costa

Pelo final do mês de Abril de 2002, foi noticiado que o oficial militar, General de Divisão (Major General) da arma de Infantaria do Exército da República da Coréia Choi Hong Hi, estava pronto para morrer. Exilado desde 1972 no Canadá, por não concordar com a terrível ditadura e tirania do também General Park Chung Hee (1917-1979), tinha como último desejo visitar a Pátria. Desde 1972 o General Choi, em certos momentos, mostrou seu desejo de visitar a Pátria. Mas estava proibido de pisar o solo da República da Coréia.

Para tal intento, Choi enviou um documento oficial à República da Coréia; à República Popular Democrática da Coréia e também a um veículo de comunicação. A República da Coréia, no entanto, pouco depois de receber o oficio, recusou a solicitação.

Por fim, já em grave estado de saúde, o General escolheu a República Popular Democrática da Coréia (Coréia do Norte), onde faleceu, em 14 de Junho de 2002, vítima de tumor maligno no estômago.

Um documento e foto foram enviados à República da Coréia, por um renomado grão mestre de Taekwondo (formação Moo Duk Kwan), compatriota e grande amigo de Choi, o qual vivia nos Estados Unidos, no Estado de Iowa, desde 1971. O documento relatava a indignação de praticantes de taekwondo em todo o mundo, e de coreanos que viviam em outros países, quanto ao fato do criador do Taekwondo ter sido rejeitado pelo governo da República da Coréia.

O documento que Choi enviara, inicialmente ao Governo da República da Coréia, no sentido de visitar sua Pátria, continha algumas reivindicações, como segue:

1) Definição de sua posição como fundador do Taekwondo.
2) Ser condecorado pelo Governo e reaver sua honra como General.
3) Ter reconhecido sua louvável e meritória atuação na luta pela libertação da península do jugo japonês.
4) A garantia do Governo de que teria uma cerimônia com honras fúnebres e com a participação da comunidade Taekwondista mundial, com enterro em um cemitério nacional.

Sobre estes itens, o Governo da República da Coréia não respondeu de maneira clara, mas sim manifestou-se de forma obscura.

A Coréia do Norte (República Popular Democrática da Coréia), ao contrário, respondeu que: o General é considerado uma pessoa louvável, meritória, heróica, pelo seu brilhante papel nas suas corajosas, dedicadas e incansáveis ações de muita bravura na luta contra a invasão japonesa, fundador do Taekwondo e também garantindo que por ocasião de sua morte, seu enterro no cemitério especial dos mártires da Pátria.





Uma das últimos fotos do General Choi, bastante debilitado, em um Aeroporto no Canada em viagem definitiva para a Coréia do Norte em 12 de Maio de 2002.








Finalmente o General então escolheu a parte Norte da Península para morrer.

Durante toda sua vida, o General quis visitar a República da Coréia, infelizmente foi somente um sonho.

Ele continuou sua árdua e dedicada missão de popularizar e desenvolver o Taekwondo durante toda sua vida.

Seus grandes desejos eram:

• Unificar a arte,
• Taekwondo unificado nos Jogos Olímpicos e
• Reunificação de sua pátria a ´Terra das manhãs calmas`, tristemente dividida desde 1945 pelos Estados Unidos através do Paralelo 38, ato executado (escolha do Paralelo 38) pelo Coronel Charles Hartwell Bonesteel (1909-1977) e Coronel Dean Rusk (1909-1994) por determinação do 33º Pres.dos Estados Unidos da América Harry Truman (1884-1972), com a concordância da ex União Soviética, Joseph Stalin (1879-1953), resultando em 10 milhões de famílias separadas sem nenhum contato até hoje.

Choi criou a forma (Tull) a de nível mais alto: a última, chamada Tong il (58 movimentos) a qual denota a unificação da península e o diagrama simboliza a raça homogênea, lembrando que os coreanos são considerados a raça mais homogênea, os quais são unidos pelo mesmo idioma (Ural-Altaico), mesma aparência, mesmo alfabeto (Hangul), uma só tradição cultural e a mesma e longa história que data de milhares de anos, ou seja, irmãos de sangue.

No dia 11 de Junho de 2002 GMs Choi, considerado por muitos o Pai do Taekwondo então hospitalizado em Pyongyang, com toda a responsabilidade, seriedade que sempre o caracterizou, no sentido de não deixar nenhuma dúvida sobre sua decisão e com todo o seu conhecido aguçado senso de previsão, planejamento e organização, na presença de seus mais graduados, antigos, fiéis, experientes, confiáveis, leais, discípulos compatriotas coreanos relatou seu inviolável testamento, demonstrando seus sagrados, incontestáveis desejos e vontades assim seguindo fielmente a sagrada, absoluta hierarquia, respeito, tradição e disciplina.

O General faleceu em 15 de Junho de 2002 aos 83 anos em Pyongyang, exatamente as 20:35h. O Governo da República Popular Democrática da Coréia organizou o comitê funeral consistindo de 14 membros, incluindo as mais altas autoridades do Governo, entre os quais o Sr. Chang Ung, membro do Comitê Olimpico Internacional; Sr. Hwang Pong Yong, Presidente do Comitê Coreano de Taekwondo; membros de organizações governamentais e várias Associações.

Milhares de pessoas, entre as mais altas autoridades, embaixadores, representantes de várias Organizações, delegações estrangeiras de muitos países, coreanos vivendo no exterior, praticantes, ex-praticantes, instrutores, grãos-mestres, mestres, dirigentes de todas as partes do mundo, cidadãos em geral, visitaram o falecido General e sua família, demonstrando louvor, respeito, enaltecimento, reverência, consideração. Centenas de cartas de condolências de Federações, Associações, Confederações, Fundações e de muitas outras Entidades e Organizações; e também individualmente: seguidores, mestres, instrutores, alunos, praticantes e ex-praticantes de praticamente todos os estilos, de todas as partes do mundo, enviaram mensagens a família do General.

Seu sepultamento ocorreu as 15h, do dia 17 de Junho, no Cemitério Especial dos Mártires da Pátria.

Ele deixou esposa, filho (Mestre Choi Jung Hwa), filhas, netos; todos no Canadá e uma cunhada e sobrinhos em Pyongyang.







Túmulo do General Choi Hong-hi no cemitério para os ´Patriotas` perto de Pyongyang, Coréia do Norte.







O mundo lembrará dele como um patriota, soldado, idealista e visionário. O ´Pai do Taekwondo`, Sua contribuição para a humanidade não será medida em termos monetários, mas em valores morais, éticos, de dignidade, integridade, patriotismo, bravura, coragem, caráter, decência, honradez, fraternidade e também pela filosofia que sua arte marcial instilou em milhões de praticantes em todo o mundo.

Quando perguntado se chegou a se arrepender por ter dedicado toda sua vida ao Taekwondo, ele declarou:

´Eu ensinei Taekwondo sem nunca levar em conta: Raça, religião, nacionalidade ou ideologia. Sobre isto, eu sou o homem mais feliz do mundo, eu tenho orgulho de ter deixado minha marca na história`.

Seu lugar na história está garantido e ele viverá para sempre nos corações e mentes de todos os que amam o Taekwondo.

Alcione Prestes Costa é um apaixonado e entusiasta das Artes Marciais e da Cultura Coreana. Articulista e pesquisador deste Site.