MOO DUK KWAN - 60 ANOS

FRAGMENTOS DE UMA HISTÓRIA



O Moo Duk Kwan, traduzido como o Instituto ou a Escola da Virtude Marcial, completou recentemente, em 9 de novembro de 2005, 60 anos.

Contar sua história não é tarefa fácil, pois todas as Artes Marciais coreanas que se firmaram no pós-guerra, devido aos longos anos de ditaduras e interferências políticas, não poderiam ter passado incólumes por este período.

Sabe-se que, como ocorreu no TKD, no MooDuk Kwan também houve divergências e rachas históricos entre seus líderes, mas se olharmos pela ótica do seu fundador podemos ter uma idéia do que aconteceu nestes anos.

O Moo Duk Kwan surgiu da elaboração do seu criador o Ms Hwang Kee. E a história desta escola se confunde em determinados momentos com a sua própria história de vida e a busca de uma Arte Marcial completa e integral.

Ms. Hwang Kee nasceu em 1914, em uma Coréia ocupada pelos japoneses e com sua identidade cultural bastante comprometida. Com sete anos, assistiu uma luta na qual um homem enfrentava, com desenvoltura, vários oponentes. Isto lhe influenciou para sempre no caminho das Artes Marciais. Ficou tão eufórico que procurou este homem para lhe instruir, o que lhe foi negado devido sua pouca idade. Mas, isto não abalou sua determinação, levando-o a treinar sozinho por mais de 10 anos através de seu esforço e de suas observações pessoais.

No ano de 1935 após concluir seus estudos secundários, foi trabalhar na Estrada de Ferro na Manchúria. Nesta época, conheceu o Ms. Chinês Yang Kuk Jin, com quem pôde ter pela primeira vez a oportunidade de um treino formal, regular e sistematizado.

No final da década de 30 estava de volta a Coréia, tentando continuar seus treinos e, talvez, dar aulas, mas com a ocupação japonesa em curso, não foi possível, visto que somente Artes Marciais japonesas tinham espaço no seu país.

Em 1939 foi trabalhar na Estação de trem de Cho Sun. Este posto lhe permitiu acesso a uma biblioteca onde conheceu livros de filosofia e Karate de Okinawa. Os anos que se seguiram até o final da II Guerra, foram de viagens e estudos, pois seu trabalho permitia isto, proporcionando lhe amadurecimento tanto pessoal como nas artes marciais.

O Moo Duk Kwan em uma Coréia livre

A Coréia foi desocupada com o fim da II Grande Guerra, em 15 de agosto de 1945. E em 9 de Novembro do mesmo ano, Ms Hwang Kee viabiliza seu projeto: a fundação da Escola Moo Duk Kwam. Nomeando sua Arte Marcial de Hwa Soo Do, a Arte da Mão Florida. Em função do primeiro Dojan desta escola ter sido na Estação de trem Yong San, em Seul, boa parte dos seus primeiros alunos era ferroviários, assim como o próprio Ms Kee.

Com o passar do tempo, percebendo a baixa adesão a sua escola, foi obrigado a reavaliar o futuro do Moo Duk Kwan. E considerando a influência japonesa nas Artes Marciais coreanas, decidiu incorporar o Tang Soo Do à sua arte, sem se afastar da disciplina do Hwa Soo Do.

Antes do início da Guerra da Coréia em 1950, já tinha reconhecido seus primeiros 4 Faixas Pretas. Sendo mais tarde identificado pelo Sistema Dan Bom, seqüência numérica única entre os graduados pela Moo Duk Kwan.

Apesar do sofrimento que a Guerra da Coréia trouxe e das naturais dificuldades, a Escola sobreviveu e se fortaleceu. Isto permitiu ao Ms. Hwang Kee continuar seus estudos e desenvolvimento de um sistema único de técnicas, pois sendo estudioso e elaborador não se cansava na busca de uma Arte Marcial completa, que integrasse os movimentos físicos ao desenvolvimento pessoal e espiritual dos praticantes.

O fim da Guerra da Coréia trouxe um período de intensas agitações no sentido de resgatar a identidade cultural do povo coreano, bastante abalado devido a Ocupação Japonesa e a dolorosa Guerra que acabara com uma Coréia enfraquecida, dividida e ocupada militarmente pelos americanos. E com as Artes Marciais também não foi diferente.

Neste sentido, em 1955, aconteceu a famosa reunião, coordenada pelo Gen Choi Hong Hi, e os principais representantes das escolas ou ´Kwans`. Neste encontro vários mestres concordaram em convergir para uma Arte Marcial coreana única, que dois anos mais tarde foi definitivamente denominada Taekwondo. Mas não houve consenso nesta reunião e o Ms. Hwang Kee foi um dos que não achou conveniente a adesão essa proposta. Optou por continuar buscando sua Arte, pois já estava em curso um projeto próprio para sua Escola.

A segunda metade da década de 50, foi um excelente período para o Moo Duk Kwan. Foi o melhor momento da história antiga desta escola. E o Ms Hwang Kee, que já dava aulas na Academia da Força Aérea, passou também a ensinar soldados americanos da 8ª divisão do exército americano, sediada em Yong San. Mais tarde, quando sua escola passou por dificuldades políticas, confirmou-se a importância deste trabalho junto a soldados americanos. Ele também ensinou, em Han Yang, Universidade de Seul e em vários outros centros militares coreano.

Em 1957, Ms Hwang Kee conheceu o Moo Yei Do Bo Tong Ji, datado de 1790, considerado o mais antigo livro de Artes Marciais coreana, escrito pelo General Dok-Moo Hi, Comandante da Polícia Militar Coreana da época, a pedido do Rei Jung-Jo. Este manual explicava o Soo Bahk, uma verdadeira Arte coreana. Deste estudo nasceu o Soo Bahk Do, o novo Sistema de estudo do Moo Duk Kwan. Entendia que este seria o resgate de uma Arte marcial viva, ligando seus praticantes a uma herança de orgulho e respeito.

A idéia do nome Soo Bahk Do consistia em uma combinação do Soo Bahk Ki, técnica de toque de mãos e Soo Bahk Hee, dança das mãos, explicado neste antigo manual. O Do baseou-se na crença de que toda Arte Marcial deve ensinar a filosofia do Moo Do (artes marciais) para minimizar os conflitos interiores e exteriores do homem.

O ano de 1960 foi muito produtivo. A Associação Coreana Soo Bahk Do, obteve o seu registro e reconhecimento oficial como uma Arte Marcial Coreana Tradicional. No ano seguinte a disciplina do Moo Duk Kwan teve reconhecimento internacional. Entre setembro de 1960 a abril de 1961 foi publicado 8 informativos. As coisas iam bem até este momento e tudo indicava um crescimento bastante significativo da Soo Bakh Do.

O progresso desta escola se desenrolava de modo promissor, associado a um crescimento significativo. Mas o golpe militar e a entrada do General Park Chung Hee ao poder em maio de 1961, não foi só ruim para o Moo Duk Kwan, como desastroso. E não foi diferente nos 20 anos que se seguiram, até o fim do regime ditatorial militar na Coréia do Sul.

O Moo Duk Kwan e a Ditadura Park

A partir deste evento político na Coréia do Sul, e por influência de importantes militares ligados ao Taekwondo, aumentaram as pressões sobre o Moo Duk Kwan e ao Ms Hwang Kee para que aderirisse à nova arte, a partir desse momento, com status de esporte nacional coreano.

Os anos 60 foram muito difíceis para esta escola e seu fundador, devido às pressões para que este aderisse ao Taekwondo. Algumas tentativas eram feitas, e por volta de 1964, foi concentrado um esforço na tentativa de unificar o Moo Duk Kwan Soo Bahk Do à maior organização de Artes Marciais no sistema coreano, o Taekwondo. Essa idéia não era bem vista pelo grupo do Ms. Hwang Kee, pois toda a articulação e pressão política tinham o único objetivo o de cooptar sua escola e dissolve-la dentro deste grande projeto.

Depois desta fracassada tentativa, as pressões aumentaram e vários integrantes do Moo Duk Kwan migraram para as fileiras do Taekwondo, levando junto, inclusive, o nome da escola de origem para ser tratado como um dos estilos, que se dissolveram para viabilizar e fortalecer um Arte Marcial única como o governo coreano da época queria.

Entre os expoentes da Moo Duk Kwan que migraram para o Taekwondo dois mestres merecem destaque: Yung In e Chong Soo Hong, estes formaram suas escolas e suas filiais Moo Duk Kwan, com significativo destaque a partir de então. Deste momento, pode-se dizer que foi criada uma outra escola Moo Duk Kwan, esta por sua vez integrada ao Taekwondo. Mais tarde em 1974, Ms. Chong S. Hong, foi designado Vice-Presidente da Kuk Ki Won.

Mas a rebeldia por parte do Ms Hwang Kee e seus seguidores, contrariando a vontade do governo do Ditador Park e de seus defensores, teve conseqüências. A primeira sanção foi a tentativa de cancelamento do registro da Associação Coreana de Soo Bakh Do, em 1965. Essa medida revanchista por parte do governo levou o Ms Hwang Kee a brigar na justiça pelo direito de permanecer na legalidade, o que depois de várias apelações, ganhou na Suprema Corte em 1966 esse direito, garantindo assim o futuro desta organização.

Porém isto não surtiu muito efeito e o Ms. Hwang Kee amargou um período de sucessivas retaliações, como descrevemos abaixo:

• Foi proibido de ensinar nas escolas;
• Foi despedido como instrutor da Força Aérea;
• Proibiram-lhe de publicar livros e folhetos;

O tempo passava e as tentativas e pressões para que aderisse ao Taekwondo continuavam, pois:

• Os membros da Moo Duk Kwan não podiam participar de eventos internacionais;
• Os seus certificados não eram reconhecidos;
• Enfrentavam dificuldades para trabalhar;
• Eram proibidos de sair do país.

Como conseqüência muitos instrutores passaram para o Taekwondo, alguns, inclusive levando junto o nome de Taekwondo/Moo Duk Kwan, como foi descrito acima.

Por conta disto o Soo Bakh Do Moo Duk Kwan foi experimentando a obscuridade e vendo o rápido crescimento do taekwondo na Coréia e no Mundo, enquanto ficaram de mãos atadas devido as circunstância políticas e interferência direta do governo autoritário coreano.

Outro aspecto importante foi o desestímulo e o abandono de vários membros importantes na época que não suportaram tanta pressão.

Durante toda a Ditadura Park, quando o mundo presenciou o enorme crescimento do Taekwondo, o Ms Hwang Kee e seus fiéis discípulos permaneceram inertes esperando a abertura política para retomarem seu projeto de difundirem o Soo Bakh Do Moo Duk Kwan.

Os anos de linha dura foram difíceis, mas não totalmente perdidos, pois muitos soldados americanos que serviram na época de ouro do Moo Duk Kwan voltaram para seu país e continuaram treinando e difundindo de modo desordenado essa Escola e as idéias de seu fundador.

Até o assassinato do Ditador Park em 1979, as pressões políticas foram intensas, dificultando o Ms Wang Kee viajar para fora da Coréia. Ainda assim, continuou promovendo sua arte incansavelmente. E apesar das dificuldades, viu a sua escola se estabelecerem em vários países, entre eles; EUA, Grécia, Reino Unido, França, Bélgica, Alemanha, Itália, Suíça, Países Baixos, Porto Rico, Argentina, Uruguai, Malásia, Brunei e Austrália.

O fim do regime autoritário na Coréia do Sul e a abertura do para o mundo

O início dos anos 80, após a democratização da Coréia do Sul, marca uma retomada do projeto de reconstrução da Soo Bakh Do Moo Duk Kwan. Embora com a idade já bem avançada, retomou a missão de reestruturar sua escola.

A partir desta época também pôde contar com a ajuda de seu filho, além de outros importantes mestres que desenvolveram esta escola em outros países mantendo a chama do Moo Duk Kwan acessa.

Mestre Hwang Kee (Hwang, Ki Chang), faleceu em 14 de julho de 2002. Seu corpo descansa em Pa Ju Kun, província de Kiong Ki, na Coréia do Sul.

Todos os anos, seus discípulos e familiares reverenciam sua importância, sua coragem e sua determinação em manter esta escola que ele deu uma vida para ver forte e reconhecida.

Talvez uma das maiores lições que o Grande Mestre Hwang Kee nos deixou foi sua luta por se manter por tanto tempo, apesar das adversidades, firme e inabalável na crença de seus ideais.

Para um homem que desfrutou de poucos momentos de liberdade plena, conseguiu um feito extraordinário. E isto é um grande referencial para uma época em que as conquistas têm sido bem menos difíceis.

Hoje, a Moo Duk Kwan Mundial está solidificada em vários países, inclusive na Coréia do Sul; sob a liderança do Grão Mestre H C Hwang, filho do Ms. Hwang Kee. E, como ele mesmo afirmou: pronta para enfrentar o futuro.



José Afonso Nunes
F. Preta 2º Dan
Mossoró - RN

Fonte de pesquisa:

A História do Moo Duk Kwan, Ms. Hwang Kee, 1995
Manual da Federação de Soo Bahk Do Moo Duk Kwan, 2001
A História do Su Bahk Do Moo Duk Kwan, - Diplomatura Superior em Desportes de Combate – FMHD – Universidad Abierta Interamericana.
Sites:
http://worldmoodukkwan.com/index.html
http://www.sbdbuenosaires.com.ar/uai/uaiinicio.htm
http://www.soobahkdo.com/fed-web/main-page.htm
http://www.soobahkdo.com/fed-web/vision-tour/vision-tour-main.htm