Precaução na gestão taekwondista, antes que o mundo acabe.


Por José Afonso para a Redação


A decisão da atual gestão provisória da CBTKD em convocar uma AGE para o dia 18/12/2012 é curiosa e sem sentido. A época é inapropriada para deslocamento dos membros do mais importante poder na atual estrutura do taekwondo brasileiro, a Assembleia Geral, se considerarmos os transtornos como, congestionamentos nos aeroportos, lotação em hotéis do Rio de Janeiro, além dos preços de hospedagens e passagens que são mais caros nesta época do ano.

A decisão aparenta falta de bom senso e falta de urgência. Fazer com que dirigentes estaduais se desloquem de diferentes lugares do país, gastando dinheiro próprio ou de sua respectiva entidade estadual, geralmente sucateada, até o Rio de Janeiro para “Aplicação ou não de penalidade em razão do procedimento administrativo instaurado contra Marcelino Soares Barros e Jair Ferreira Queiroz”, parece um tanto absurdo!

Que crimes ou desvio de conduta praticaram os dois para justificar tamanho transtorno, despesas e urgência?

Não há explicação! A não ser que o nobre gestor provisório da entidade nacional conte com a possibilidade de vir apenas, procurações.

Neste caso, um dirigente estadual mandar procurações para que o gestor provisório da entidade nacional puna seus desafetos políticos ou críticos é um tanto deprimente, além de uma atitude nada louvável. Prestar-se-ia apenas para atender aos caprichos políticos de quem entra para uma função política, ingerindo na vida de milhares de praticantes, atletas, professores e mestres, mas não aceita a crítica, nem ser contrariado, questionado ou confrontado. Mais grave ainda esta indisposição a crítica quando suas mais importantes ações políticas se sustentam em Recursos Públicos.

A situação chega a ser paradoxal. Porém, aceitável nesta pequena e atrasada política taekwondista.

Além do óbvio...

Outra possibilidade, que ganha força nas mídias sociais, é a de que a Pauta, “Publicado em: 8/12/2012” pode ser uma “isca”, um disfarce ou uma espécie de armadilha. Para caracterizar esta suspeita, teriam que ter assuntos mais importantes sendo preparados para serem levados de última hora. Entre estas possibilidades, a “Reaprovação”, “Reratificação” ou “Ratificação” das contas da entidade, 2010 e 2011 e quem sabe agora, "auditadas" por gente efetivamente credenciada. Algo que já foi feito em 29/04/2011 e 31/3/2012 - Contas de 2011 aprovadas em Assembleia.

Motivos de suspeita...

Ao considerarmos que há um Processo pesado na Justiça Carioca que elenca uma série de irregularidades praticadas pela atual gestão provisória - quem teve acesso a este conjunto probatório, diz ser um bem mais consistente do que aquele que afastou o Titular deste atual Mandato, JRKim - , adicionado a uma visita recente de fiscais auditores do TCU na entidade, algo nada corriqueiro para estes auditores, a não ser que haja suspeitas de irregularidades no trato da verba pública, não surpreenderia vermos esta provisória gestão dando uns retoques ou uma arrumada nas coisas, principalmente pelas demandas e questionamentos que virão inevitavelmente.

Considerando também que esta provisória gestão entende que a Assembleia Geral é “soberana” e pode tudo, eis uma “tangencial” que não deve ser desprezada.

Vale registrar também que as últimas AGEs, foram marcadas por um número excessivo de votos por procurações, onde tais procuradores, geralmente do RJ e indicados pelo maior interessado na aprovação dos temas em pauta, sempre a favor da atual gestão. Por conta disto, não surpreenderia a entidade nacional bancar a ida de pelos menos uns 10 presidentes, muito provavelmente, parceiros políticos do atual gestor provisório para dar um “ar” de credibilidade aos demais assuntos que estariam sendo preparados na surdina.

Se confirmado estas suspeitas, a atual gestão provisória estaria assinado de forma incontestável mais outra irregularidade. Além das demais, que não são poucas. Porém, desta vez, dividindo com a Assembleia Geral este ônus. Sem falar que mandar os presentes assinar Prestação de Contas que já foram aprovadas é um tampo estranho.

Imaginar que alguns presidentes de federações estariam a par do esquema e cacifando tal manobra, vai precisar de explicação. Seria por ingenuidade, subserviência medo ou cumplicidade? Pois uma assinatura, dependendo do que foi arquitetado, pode colocá-los no “olho do furação” dos imbróglios jurídicos e consequente desdobramentos.

O caso exige cautela, mas não menos preocupante, pois confirmado a situação, caso a entidade venha a bancar qualquer custo para beneficiar uns Membros da Assembleia Geral em detrimento de outros, teremos mais outra irregularidade... Assim, a situação pode se complicar ainda mais.

Como a CBTKD é uma entidade regada por Dinheiro Público, temos de ficar de olho... E nem poderia ser diferente, já que quem deveria, de fato e de direito fiscalizar, não o faz.

 

Redação Tkdlivre

Matéria Publicada em 14/12/2012, as 09:40hs.

Nota da Redação:

  • Aos questionamentos que este Artigo sugere, o Tkdlivre, se coloca de antemão, a disposição para, a quem interessar possa, fazer o contraditório.