Um desserviço ao taekwondo mundial na pequenez das "nossas" perspectivas.

Vai que este "povo" não acompanha as noticias em português... 

*  

Impressiona a capacidade de boa parte da cartolagem esportiva brasileira em perceber o papel que o esporte representa para um país e seu povo. E, invariavelmente, quando exteriorizam o “como pensam”, o arsenal de “bolas foras” é surpreendente.

Desta feita, a escorregada fica por conta do dirigente da entidade que controla o Taekwondo “Olímpico” Brasileiro, conforme noticia o “site oficial paralelo” da modalidade em 09/09/15 - "No México Carlos Fernandes faz cobranças à PATU e à WTF", dando conta de que tal dirigente - que se encontra junto à delegação brasileira que participa do Panamerican Open Taekwondo Championships de 2015, no México - marcou presença na Assembleia Geral da União Panamericana de Taekwondo (PATU), quando teve oportunidade de mostrar para a “américa” suas mas relevantes preocupações. Assim se manifestou:

O Brasil está aqui em defesa do bom andamento e da ética do taekwondo mundial, os bons mestres e atletas profissionais não podem ser igualados aos caronistas que o Kukkiwon passa, por igual, o mesmo diploma, sem respeitar as regras e reconhecer a quem é de direito. O taekwondo hoje pertence ao mundo e não ao Kukkiwon, que se acha dona do taekwondo”.

Só este parágrafo já é suficiente para uma reflexão, em razão do que vem depois, na matéria em pauta, cujo teor chega a comprometer a entidade da qual tal dirigente representa, bem como ao taekwondo nacional e à inteligência do seu coletivo.

Contradições & Incoerências

Obviamente que ao considerarmos que:

Tal dirigente comanda uma entidade que é alvo de investigação na Polícia Federal, denominada, Operação Contragolpe, sendo “investigada pela PF em dois inquéritos policiais por suspeita de fraude em licitações e desvio de recursos públicos” (Fonte: Site da Polícia Federal); 

Tal dirigente não percebe que sua gestão “carece de especial atenção diante da notória fragilidade administrativa da entidade que figura na parte ré. Conforme notícias amplamente divulgadas na mídia especializada e não-especializada, a CBTKD vem sendo investigada pela Polícia Federal por suspeita de condutas criminosas de seus gestores...”; (Fonte: Site do TJERJ); 

Tal dirigente está, em tese, eleito sob uma Fraude Estatutária, conforme recente decisão de instância superior do TJRJ recente (Fonte: Site do TJERJ); 

Tal dirigente, desde sua posse, viu a entidade ser arrolada como réu em uma ou duas dezenas de processos judiciais; (Fonte: Site do TJERJ); 

Afinal, em quê tal dirigente se baseia para sair “em defesa do bom andamento e da ética do taekwondo mundial”?

Será que achou que os demais dirigentes da PATU e participantes desta Assembleia Geral não conseguem ler notícias em português?

Aliás, quando o Colegiado de Desembargadores da TERCEIRA CÂMARA CÍVEL  do TJRJ assim se manifestou em 18/06/2015:

Portanto, nulo o registro do estatuto de 2012, todos os subsequentes ... Outrossim, a presente lide carece de especial atenção diante da notória fragilidade administrativa da entidade que figura na parte ré.”

Tal dirigente deveria ter “recolhido as armas” e tratado de se explicar para o coletivo taekwondista brasileiro.

Considerações Oportunas

Seria de bom senso lembrar ao tal dirigente que em menos de um ano teremos uma Olimpíada no Rio de Janeiro. E certo mesmo é que em 2015 - enquanto o Brasil se elevou à terceira força esportiva continental e o Esporte Para-Olímpico reinou soberano nas Américas - o Taekwondo amargou uma 9ª Posição continental ao lado da Argentina.

Isto já seria motivo mais que suficiente para que tal dirigente se concentrasse efetivamente no principal: juntar todos os esforços no Taekwondo Nacional para uma melhor sorte nestas próximas Olimpíadas.

Mas não!!! A briga política com um taekwondo que não o digere politicamente parece ser levada as últimas consequências. Até os confins da Terra, seja através das reuniões da PATU, da WTF e mais lá o que for possível.

Outra reflexão oportuna é sobre o Papel Esportivo/Administrativo da WTF/PATU/Federações Nacionais  X o Papel Marcial/Cultural/Pedagógico da Kukkiwon.

Como nos parece que tais entidades têm funções distintas, portanto, o apelo de tal dirigente nos parece, também, inoportunos. Sem falar que este tema carece de um profundo debate.

Fora isto, cabe lembrar tal dirigente que é impagável, tanto para um marketing coreano, como para a Coreia do Sul, o trabalho que cada Faixa Preta faz “de graça” mundo a fora.

Faz bem à Kukkiwon manter registro e cuidar dos “seusFaixas Pretas de Taekwondo por todo o planeta, INDISTINTAMENTE, visto que cada um deles são verdadeiros EMBAIXADORES da Cultura e da História Coreana.

Abrir mão disso, por miopia política de alguns “tais dirigentes” é estupidez. É prejuízo!

Mas afinal, será mesmo que "O Brasil sai fortalecido da Assembleia da PATU"?

 


* Imagem acima disponível em www.bang.com.br 

 - O Autor,  José Afonsoé faixa preta, professor, praticante e ativista no taekwondo brasileiro.

Artigo Publicado em 12/09/2015, as 23:56hs

Nota da Redação:
¹ O Tkdlivre, não necessariamente concorda com o conteúdo dos artigos publicados e assinados neste Site. O artigo em questão reflete exclusivamente a opinião do autor, e assim, da sua inteira responsabilidade.
²  De qualquer forma, aos questionamentos que este artigo sugere o Tkdlivre, se coloca de antemão, a disposição para, a quem interessar possa, exercer o Direito de Resposta ou fazer o Contraditório.

___________________ &&& ____________________